Pessoas com deficiência se comunicarão com maior grau de conforto e autonomia

//Pessoas com deficiência se comunicarão com maior grau de conforto e autonomia

Pessoas com deficiência se comunicarão com maior grau de conforto e autonomia

A Organização Mundial da Saúde, OMS, estima que, em tempos de paz, 10% da população dos países desenvolvidos são constituídas de pessoas com algum tipo de deficiência. Desses, 10% teriam deficiência física.

Hoje em dia e em todo o mundo, muitas pessoas possuem severas limitações ao realizar as atividades mais básicas do cotidiano, que as impedem até mesmo de se comunicar. Mesmo para comunicar os pedidos mais simples é extremamente difícil pela falta de condições de realizar atos simples ou chamar por ajuda.

Existem diversos equipamentos que possibilitam as pessoas se comunicarem, mesmo aquelas que tem pouco mobilidade. Porém eles são inadequados por não serem customizados ou por não ter considerado as diferenças entre cada usuário, sendo genéricos e insuficientes para que sejam realmente benéficos. Seria interessante que o deficiente físico não somente se comunicasse acionando um botão e emitindo um sinal sonoro, mesmo que em muitas situações isso poderia amenizar sua dificuldade em comunicar necessidades simples.

É muito mais efetivo, no entanto, que ele esteja conectado ao computador e com isso abrir inúmeras possibilidades, já que no momento que se possibilita sua interação com o mundo digital, pode se desenvolver inúmeros aplicativos, sejam eles educativos ou de entretenimento, além de dar acesso a editores de texto e navegação na internet, entre outros.

Os preços das soluções de comunicação para deficientes físicos de baixa mobilidade no Brasil são caras. Nem todas as famílias conseguem pagar por um sistema desses feito apenas por um simples sistema eletrônico composto de um acionador e sinal sonoro (alarme). Muitas pessoas nem sabem que esse tipo de sistema eletrônico existe.

A maioria desses equipamentos são importados. Os mais populares giram em torno de 400 reais, e  estão longe de ser ergonômicos e ajustados a necessidade física de cada pessoa. Eles são “duros” e nada confortáveis. Os mais baratos também não atendem todas as necessidades de comunicação do deficiente. A partir de 700 reais é possível que se tenha a  junção de 2 equipamentos que irão  possibilitar a comunicação com o computador.

penso

Felipe, fundador da startup de tecnologia Olivas Acessibilidade Digital observou essas soluções e como eles funcionavam. Conversou com fisioterapeutas, familiares de pessoas deficientes que utilizavam e conheciam esses sistemas e viu que poderia desenvolver um equipamento eletrônico melhor, que fosse ergonômico, ou seja, de fácil adequação conforme quem estivesse usando o dispositivo, além de possibilitar a calibração na pressão (ou força) exercida no momento do acionamento do sensor. Ele verificou que cada usuário do seu sistema possuia uma necessidade diferente e cada um exercia uma determinada força de acionamento dependendo do grau de liberdade de movimentação. Viu que para uma mesma pessoa, a intensidade de forca para usar o equipamento pode ser alterada diariamente ou em diferentes partes do dia. Ele também pensou que seria legal não somente um sistema com alarme, mas que pudesse conectar a pessoa ao computador assim como os mais caros vendidos no mercado.

Ele então desenvolveu um protótipo eletrônico, mudou, melhorou o produto de acordo com o usuário e assim nasceu o Penso. Felipe disse que o nome de seu produto, Penso, foi escolhido porque leva a refletir sobre a realidade das pessoas que muitas vezes tem problema de comunicação por conta de sua falta de mobilidade; esse nome faz pensar um pouco como se nós nos colocássemos no lugar dessa pessoa que tem tanta dificuldade a se comunicar.

O Penso possibilita que pessoas com grande limitação motora, até mesmo as que tem movimentos extremamente restritos, possam se comunicar e possam ter uma vida um pouco melhor.

Financiamento Coletivo

A forma que Felipe encontrou para financiar esse equipamento em escala foi fazer uma campanha de financiamento coletivo. Ele está no Kikante e sua campanha está sendo lançada hoje, no dia internacional das pessoas com deficiência. Existem diversas formas de apoiar a campanha e nós do Embarcados Innovation apoiamos essa ideia.

Acessando a campanha, é possível fazer doações simples, de R$20,00 ou mais, ou adquirir o aparelho.

Para colaborar com a campanha, acesse:

http://www.kickante.com.br/campanhas/olivas-acessibilidade-digital

Mas o que é o Penso? O que ele faz?

 

O vídeo abaixo deixa mais claro o que é o equipamento Penso:

 

O Penso pode ser dividido em 3 partes:

1) BOLSA DE AR: É através dela que os pacientes exercem o movimento que será usado como acionamento.

2) SENSOR DE PRESSÃO: É o componente eletrônico que tem a capacidade de medir a pressão exercida em atuação ou em repouso.

3) DISPOSITIVO ELETRÔNICO: É o equipamento que possibilita entender as informações do sensor de pressão e tomar as atitudes desejadas, como a calibração.  A pressão de repouso é medida.  E no momento que é colocada a pressão de ativação, é possível entender a variação, que irá caracterizar um estímulo de ação. A partir disso, é disparado sons e interação com o computador para as ações desejadas.

Hoje o sistema permite que o usuário possa utilizar um simples sinal sonoro para avisar uma emergência ou alguma interação desejada ou combinada, e até mesmo possibilitar enviar um comando para o computador como se fosse uma tecla de teclado. Um software que responda a um estimulo simples de uma solicitação de teclado pode transformar em uma ação simples em algo mais elaborado.

Uma das aplicações é a leitura de livros completos disponíveis em formato digital. 

É possível também que a pessoa digite textos em editores de texto comuns como Notepad, OpenOffice e Word, desde que ela use teclado de acessibilidade em modo de varredura, disponível nativamente no sistema operacional Windows. Existem aplicações específicas para isso. São chamadas de prancha de comunicação onde podem existir letras ou símbolos que significam sentenças ou ações já programadas. Portanto inúmeras possibilidades podem ser exploradas e o uso de softwares gratuitos e open source (distribuição grátis) também é possível, bem como o uso de sistema operacional Linux.

O Sonho

O grande sonho de Felipe é que pessoas se inspirem em seu projeto e façam equipamentos que podem mudar a vida das pessoas por preços justos. Ele deseja que a tecnologia seja usada para o bem. Ele quer que mais pessoas consigam usar a eletrônica para algo nobre, para resolver problemas do dia a dia, para que tenhamos um mundo melhor.

Felipe decidiu abrir todos os arquivos de projeto de hardware e software (placa eletrônica e programa para fazer a placa eletrônica funcionar), todos os arquivos de computador necessários para a fabricação da placa e a lista de todos os materiais necessários para a montagem da placa. Tudo estará disponível para download em seu site e também disponibilizaremos no Embarcados Innovation. Qualquer pessoa do mundo poderá baixar os arquivos e fabricar um equipamento igual ao vendido por sua empresa e funcionará exatamente da mesma forma. Esses arquivos estarão disponíveis para download no dia 01 de fevereiro de 2016. As licenças de compartilhamento e de uso desses arquivos ainda não foram definidas, mas qualquer pessoa poderá fabricar e oferecer para que alguém use esse equipamento, caso ache melhor do que comprar o equipamento pronto. Consultas e observações para que pessoas possam usar parte do conhecimento contido nesse projeto eletrônico também será possível. Vários arquivos já estão em poder do Embarcados Innovation e Embarcados e vamos falar sobre o projeto eletrônico como costumamos fazer no Embarcados.

Responsáveis por esse texto:

Felipe Bombacini –  Entusiasta da tecnologia, sempre teve ideias inovadoras e empreendedoras, mas há um ano e meio descobriu onde realmente pode fazer a diferença. Ele adora ver suas invenções modificando e melhorando a vida das pessoas. Isso deu a ele um novo panorama da vida; antes ele se preocupava em fazer eletrônica, hoje ele se preocupa em fazer pessoas sorrirem. Felipe espera inspirar muitas pessoas que trabalham com tecnologia como ele, sabem eletronica e programacao a colocarem suas aptidões tambem a favor de fazer algo legal pras pessoas.

Thiago Lima – Tecnologia, Inovação, Educação e Empreendedorismo – É assim que mudamos o Brasil. Sou Engenheiro Eletricista, estudante de mestrado do Rochester Institute of Technology. Tenho 13 anos de experiência com desenvolvimento de produtos eletrônicos e adoro hardware. Sou Diretor de Marketing do Embarcados, co-fundador do Embarcados Innovation, escrevo eventualmente para o Fazedores e faço parte da Plataforma Ituiutaba Lixo Zero, onde escrevo pro blog e envio regularmente artigos para um jornal de Ituiutaba.

Esse texto pode ser alterado por qualquer pessoa. Por favor mantenham as referencias, deixando o link http://innovation.embarcados.com.br/pessoas-com-deficiencia-poderao-se-comunicar

e o nome dos autores do texto Thiago Lima e Felipe Bombacini. Fale desse projeto com as pessoas que está a seu lado, compartilhe na rede social ou com amigos por email ou whatsapp. Ajude a idéia de fazer produtos eletrônicos para causa nobres mais longe.

Para mais imagens e para seguir a campanha, acesse o Facebook

https://www.facebook.com/Olivas-Acessibilidade-Digital-1625188487741054/?fref=ts

Deixe um recado pra gente no campo abaixo.

By | 2017-01-27T23:08:04+00:00 dezembro 3rd, 2015|Notícias|0 Comments

About the Author:

Sou mestre em Engenharia Elétrica pelo Rochester Institute of Technology e atualmente atuo como Diretor de Marketing do Embarcados, website brasileiro de sistemas eletrônicos iniciado em 2007. Minha paixão por sistemas digitais e circuitos eletrônicos me proporcionou experiência ao trabalhar por 16 anos com desenvolvimento de produtos eletrônicos. Nos Estados Unidos fui fundador de uma startup de tecnologia chamada Una, onde trabalhei por 8 meses, sendo acelerado e incubado por um programa especial de Startups no RIT. Ao final, recebemos um prêmio de melhor startup do programa. Sou co-fundador do Embarcados Innovation, site que promove a criatividade, o desenvolvimento de ideias e empreendedorismo no campo de sistemas eletrônicos no Brasil. Sou um dos responsáveis pela Plataforma Ituiutaba Lixo Zero, onde escrevo regularmente artigos sobre redução de resíduos.

Compartilhe com um amigo