Garotas Makers III – parte 1

//Garotas Makers III – parte 1

Garotas Makers III – parte 1

Após algum tempo, voltamos com a série sobre as Garotas Makers… e confesso que não sabia o que fazer pra continuar, pois algumas convidadas não puderam mandar seus textos. Lancei o desafio por grupos de mulheres, makers e Arduino pelo Facebook. Para minha surpresa, muitas mulheres aceitaram o desafio e já recebi alguns depoimentos. Hoje vamos começar a falar da Rafaella!

1

Figura 1 – Rafaella Tolesani (Fonte: Arquivo pessoal Rafaella Tolesani)

Rafaella Tolesani Pereira tem 24 anos, mora em Americana-SP, é formada em Comunicação Visual pela ETEC Polivalente de Americana, Gestão Empresarial pela FATEC Americana e Moda e Estilo pelo SENAC Americana. Ela é a prova que o mundo maker não é restrito apenas ao pessoal de exatas, é possível fazer projetos muito legais envolvendo áreas diferentes e obtendo um resultado incrível.

Ela conta que a influência desde a infância é muito importante. Sua mãe é professora e seu pai é desenhista (hoje dizemos que ele é Designer) e possuía uma estamparia. Ela se recorda do carinho de seus pais em ensinar arte: “A época era difícil, mas eu cresci aprendendo nas escolinhas, minha mãe me ensinava com amor a parte dela e me deixava livre para criar e rabiscar na parede ou em qualquer lugar que eu quisesse, pois “não se pode privar uma criança de criar”, o lema deles para mim”. Rafaella cresceu em meio à transformações de madeira em quadros e camisetas comuns em camisetas com arte para serem vendidas. Inclusive, um de seus desenhos virou estampa de camiseta.

2Figura 2 – Desenho de Rafaella que virou arte em camiseta (Fonte: Arquivo pessoal Rafaella Tolesani)

3Figura 3 –  Pais de Rafaella (Fonte: Arquivo Pessoal Rafaella Tolesani)

A influência familiar era muito além de seus pais. Seu avô era um inventor, possuía diversos inventos e melhorias para sua casa, ensinou xadrez e bilhar para Rafaella. Seu outro avô lhe ensinou palavras cruzadas. Suas tias e avós faziam artes em crochê, tricô, ponto cruz, biscuit e roupas costuradas em máquinas. Ela conta que achava muito legal ser adulto: “E eu ia absorvendo tudo isso no meu mundo mágico infantil. Que legal ser adulto! Que legal medir a pessoa com uma fita e depois a roupa fica pronta, certinha em mim! E o desenho que eu faço pode ficar na minha roupa! Uau!”. E claro que ela também colocou a “mão na massa”, desenvolveu seu lado criativo em roupas, bijuterias, teatro e muitos outros.

Juntamente com o Ensino Médio, Rafaella se formou Técnica em Comunicação visual e seu primeiro trabalho registrada foi em uma agência: “…onde aprendi arduamente que ser adulto não é fácil, e que certos sonhos precisam de tempo e esforço. Também me profissionalizei com as técnicas e ferramentas. Corel Draw, Photoshop, Indesign e o que precisasse para atender o cliente da melhor forma, a gente dominava. Esses anos todos eu tinha prazer em ajudar minha família com os meus conhecimentos”.

Rafaella sentiu necessidade de empreender, pois sentia seu potencial “preso”. Por isso, ela resolveu cursar Gestão Empresarial. Seu estágio lhe trouxe muita paixão em ver seu trabalho percorrer produtos, catálogos, revistas e entre outras criações pelo Brasil. E em seu TCC ela quis melhorar a indústria através do design: “…decidi que meu TCC (trabalho de conclusão de curso) iria ser melhorar a indústria através do design. Através de pesquisas, conheci um termo pouco falado chamado Design Thinking, que é “pensar como um designer para resolver problemas” (de forma bem resumida), e me apaixonei”.

Seu TCC recebeu nota máxima, e isto aumentou mais sua busca por Design Thinking. E por acaso, em uma sala de espera de consultório médico, ela encontrou um anúncio que a fez entrar na área maker: “…estava folheando uma revista de saúde, quando vi um anúncio que me encheu os olhos: “Little Maker – Escola que ensina crianças a partir de métodos de design thinking” – foi o que eu li. Eu precisava conhecer essa empresa, e era na minha cidade! Então mandei um e-mail, conversei com o fundador, contei minha história (bem resumida rsrs) e “plin!”, em um mês já estava de monitora auxiliando as crianças a mexer com robótica, sucata e vendo elas criarem coisas super legais, colocando em prática as ideias delas”.

4Figura 4 – Espaço Little Maker (Fonte: Arquivo pessoal Rafaella Tolesani)

Atualmente, Rafaella trabalha como professora no Little Maker, na unidade do Colégio Antares e no Ilimit Educacional, ambos em Americana-SP, usando técnicas de Design Thinking para ensinar as crianças a idealizar, explorar e prototipar seus próprios projetos: “…eles sentem que têm poder para mudar as coisas para melhor, que o que eles fazem têm valor e significado, que eles podem errar e errar até conseguirem. E isso os torna pequenos makers. Little Makers. E eu ensino e também aprendo com eles, e isso é demais!”. Ela também atua na parte de coordenação escolar.

5Figura 5 – Turma de crianças Little Maker (Fonte: Arquivo pessoal Rafaella Tolesani)

Este é o trabalho desenvolvido pela Rafaella e a equipe Little Maker, que busca desenvolver a criatividade e o lado maker das crianças usando materiais como sucata, para transformar, melhorar, trabalhar em equipe e ter apoio de seus pais. A Little Maker traz aprendizado para crianças, professores e pais.

Para saber mais sobre o projeto, acessem aqui e aqui. Também há vídeos do projetos, um compilado das atividades desenvolvidas aqui. Além disso, o trabalho apareceu na TV junto com o canal Manual do Mundo. A Rafaella tem um blog portfólio também, o www.rafaws.blogspot.com e também um blog pessoal, o www.wrefuliz.blogspot.com

Rafaella diz: “Não posso deixar de citar o fundador do movimento maker no Brasil, o Diego Thuler, meu boss rsrs…”.A seguir temos a imagem do fundador da Little Maker no Brasil, Diego Thuler:

6Figura 6 – Diego Thuler (à esquerda), fundador do Little Maker, em entrevista para EPTV (Fonte: https://www.instagram.com/p/BD1oq7qITa7/)

A história da Rafaella nos mostrou que é preciso estimular a criatividade na criança desde cedo, e futuramente ela poderá desenvolver muitos projetos criativos e ser uma maker. A influência familiar é de grande valia. Além disso, não é necessário ser de Exatas para ser um maker. É muito bacana essa união de áreas que envolvem criatividade e utilização de materiais diversos. Além disso, mostra o quanto é gratificante repassar conhecimento e ver seus alunos desenvolvendo muita coisa legal.

Um recado final deixado pela Rafaella: “Bom, eu dei uma resumida grande, pra não ficar muito comprida (porque dava um livro e eu falo bastante rsrsrs). Um abraço para todas as mulheres que mudam o mundo onde vivem…meu último recado e mais importante é que Maker é pra todos e um beijo pras mulheres makers do Brasil”

7Figura 7 – Rafaella no Little Maker (Fonte: Arquivo pessoal Rafaella Tolesani)

A história de Rafaella motivou você a tornar-se um(a) maker? Talvez participar de um grupo de desenvolvimento? E se você já é maker, sentiu-se motivado em repassar seu conhecimento adiante? Ensinar para crianças em sua comunidade? Faça seus comentários e se você, mulher, quiser falar sobre sua trajetória maker, sinta-se a vontade!

Em breve, novas histórias para inspirar homens e mulheres no mundo Maker! 🙂

By | 2017-01-27T23:08:02+00:00 junho 14th, 2016|Artigos|2 Comments

About the Author:

Mestranda em Automação e Controle de Processos, Engenheira de Controle e Automação, Técnica em Automação Industrial, ambos pelo IFSP. Atualmente trabalha como Montadora na Tudela Indústria. Pesquisadora no LABORE (Laboratório de Robótica e Reabilitação do IFSP). Hobbista e Maker, se interessou por Arduino desde 2013, e realizou projetos na área de Wearables voltados para entretenimento. Já realizou palestras e mini cursos em eventos de IoT, Arduino e Tecnologia, no RJ, PE, SP, DF, RS, CE, SC e GO. Articulista do Portal Embarcados, redige artigos sobre Arduino e mulheres na tecnologia. Fã de Angry Birds :D

  • Euclides Rezende

    Parabens Rafaella!!! Parabens Gê!!!
    Precisamos de mais mulheres como vocês, a próxima geração (a que nós estamos ajudando a formar), será a que fará o Brasil grande da qual tanto ouvimos desde de criança.
    Tamos juntos!!!

    • Rafaella Tolesani Pereira

      Muito obrigada!!! Vamos formando nosso Brasil Maker!!!

Compartilhe com um amigo