Garotas Makers II – Parte 2

//Garotas Makers II – Parte 2

Garotas Makers II – Parte 2

Nesta segunda parte da Série Garotas Makers, já falamos sobre a Thallyta Cristina e sua história envolvendo robótica e ações sociais para promover a tecnologia entre crianças. Hoje falaremos de uma garota envolvida em trabalhos para promover tecnologia para mulheres, Juliana Karoline.

Juliana Karoline de Sousa é natural de Franca, interior de São Paulo, atualmente reside em São Carlos. É estudante de Engenharia da Computação na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

1

Figura 1 – Juliana Karoline (Fonte: Arquivo Pessoal Juliana Karoline)

O envolvimento inicial de Juliana na tecnologia é desde a infância, onde ver seu pai com equipamentos eletrônicos lhe chamava muito a atenção: “Cresci vendo meu pai consertando computadores, fazendo adaptações em videogames e desmontando os eletrodomésticos de casa nos finais de semana que passava com ele”.

Seu contato próprio com tecnologia começou em um curso básico em Informática, onde apenas formalizou conceito que já havia aprendido com seu pai, e depois iniciou Curso Técnico em Informática, onde aprendeu sobre programação, assim podendo unir duas áreas de seu interesse: informática e eletrônica.

Em seu projeto de TCC, Juliana fez um sistema de automação para sinal escolar, utilizando porta paralela para ativação da sirene, Mesmo sem disciplinas relacionadas à eletrônica. Como não conhecia a plataforma Arduino, ela teve dificuldades para dominar a porta paralela, e teve uma grande surpresa quando descobriu que o Arduino reduziria muito tempo de pesquisa se fosse utilizado.

Ao término do Curso Técnico, Juliana continuou na área da computação, ingressando no Curso de Engenharia de Computação da UFSCar. Ela optou por Engenharia por conter a parte eletrônica que ela gostaria de explorar, ao contrário de Ciência da Computação. Ao ingressar no curso, ela se surpreendeu por ser a única garota da turma: “Logo que cheguei na universidade fui surpreendida por ser a única garota de uma turma de 30 ingressantes. Como cresci rodeada por tecnologia, nunca tinha parado para analisar a quantidade de garotas na área de TI, então fiquei muito surpresa quando descobri que era a única garota da turma”.

Para incentivar mais meninas, Juliana foi cofundadora do grupo Pyladies São Carlos. O grupo Pyladies é internacional e tem foco de empoderamento de mulheres para liderança da Comunidade Python de Software Livre. Através do grupo, ela conheceu e fez amizade com as poucas garotas do Departamento de Computação da UFSCar e do ICMC da USP de São Carlos. Elas promovem o incentivo de mulheres na área de tecnologia desde o Ensino Médio e as ingressantes do curso, para não desistirem.

2

Figura 2 – Participação do Pyladies São Carlos na Semcomp USP 2015 (Fonte: Semcomp USP)

Juliana aprendeu a linguagem Python através do Pyladies, e já a utiliza em projetos com as plataformas da Intel, Galileo e Edison. A faculdade possui parceria com a Intel, onde Juliana pegou emprestada uma das placas para estudar. A motivação em estudar a placa foi o primeiro evento IoT Roadshow no Brasil. Porém, Juliana não foi selecionada para a primeira edição do evento.

Na edição de 2015 da Campus Party, ela participou da Oficina do Chão, uma oficina ministrada por Alexandre Casemonstro e patrocinada pela Intel. Foi proposto o desenvolvimento de um robô com tema Minion, com uso de uma placa Intel Galileo Gen2. Juliana conseguiu desenvolver bem o projeto por ter experiência com a placa Intel Galileo Gen1: “…Como eu já havia trabalhado com a Galileo Gen1 da universidade, consegui ajudar bastante na oficina, e no final do evento a Intel doou as placas para os participantes, então comecei a colecionar plaquinhas hahaha”.

4

Figura 4 – Robô com Tema Minion (Fonte: Arquivo Pessoal Juliana Karoline)

A Campus Party 2015 foi muito marcante para Juliana por ter realizado muitos contatos importantes, como o pessoal do ABC Makerspace, e através destes ela recebeu o convite para participar de uma edição do IoT Roadshow, onde recebeu outra placa, a Intel Edison. Com esta, ela desenvolveu um projeto chamado Clockwise: “…desenvolvi o projeto Clockwise, que é um despertador inteligente que te acorda dizendo a previsão do tempo e os seus compromissos do dia com base nos seus eventos do Google Calendar”.

5

Figura 5 – Participação no IoT Roadshow, pela Intel (Fonte: Arquivo pessoal Juliana Karoline)

6

Figura 6 – Projeto Clockwise (Fonte:Arquivo pessoal Juliana Karoline)

Por sua experiência com a plataforma Intel, Juliana participa de um grupo de IoT na faculdade, que realiza reuniões semanais para ensinar a utilização das placas e sensor do kit Groove (da Seeedstudio, que acompanha as placas da Intel no Roadshow). Ela incentiva garotas a entrarem na área com o Pyladies, realizando coding dojos com Raspberry Pi ocasionalmente.

Eu conheci a Juliana pelo Facebook e nos vimos no IoT Roadshow 2015, e na edição da Campus Party 2016 nos reencontramos. Nesta edição, houve um encontro das garotas do Pyladies pelo Brasil e Juliana atuou como mediadora da mesa redonda entre as representantes dos grupos.

7

Figura 7 – Mesa redonda com representantes do Pyladies pelo Brasil (Fonte: PyLadies Fortaleza)

8

Figura 8 – Gedeane e Juliana (a) IoT Roadshow 2015 (b) Campus Party 2016 (Fonte: Arquivo pessoal Gedeane)

Para as mulheres que desejam entrar na área, Juliana deixa uma mensagem: “Apesar de ter poucas mulheres na área, o pessoal geralmente é bem receptivo com as meninas, principalmente as garotas makers que são bem unidas. Então quem tiver interesse, não hesite em entrar em contato pois com certeza será bem recebida na comunidade!”

9

Figura 9 – Juliana e suas placas da Intel (Fonte: Arquivo pessoal Juliana Karoline)

Vimos mais uma história sensacional de uma garota que está vencendo desafios como maker e realiza ações pra incentivo de mulheres na área de tecnologia. Ficou com vontade de se tornar um maker? Importante é não desistir de primeira, mesmo não conseguindo participar de um evento importante de primeira, Juliana persistiu em aprender e realizou um projeto muito bacana na edição do IoT Roadshow que participou.

Bem, virão outras histórias para você se inspirar! Fiquem ligados!

By | 2017-01-27T23:08:02+00:00 Abril 16th, 2016|Artigos|0 Comments

About the Author:

Mestranda em Automação e Controle de Processos, Engenheira de Controle e Automação, Técnica em Automação Industrial, ambos pelo IFSP. Atualmente trabalha como Montadora na Tudela Indústria. Pesquisadora no LABORE (Laboratório de Robótica e Reabilitação do IFSP). Hobbista e Maker, se interessou por Arduino desde 2013, e realizou projetos na área de Wearables voltados para entretenimento. Já realizou palestras e mini cursos em eventos de IoT, Arduino e Tecnologia, no RJ, PE, SP, DF, RS, CE, SC e GO. Articulista do Portal Embarcados, redige artigos sobre Arduino e mulheres na tecnologia. Fã de Angry Birds :D

Compartilhe com um amigo