Entrevistei na semana passada Engenheiro Bruno Muswieck, mestre em Engenharia Elétrica e Gerente de Pesquisa & Desenvolvimento da Eletroeste Tecnologia e Automação, Uruguaiana-RS. Ele falou um pouco nessa entrevista sobre como é difícil desenvolver produtos eletrônicos no Brasil.

Alguns dos tópicos abordados nessa entrevista foram:

  • Dificuldade de estar trabalhando com últimas tecnologias do mercado, incluindo o uso de Kits de desenvolvimento que facilitam a vida do engenheiro
  • Disponibilidade de semicondutores no mercado Brasileiro
  • Tempo para importar x Time to Market
  • Impostos para importar
    • DSI (despacho simplificado de importação – 100% imposto) e DI (despacho de importação)
    • Princípio da similaridade
      • Alto imposto para fabricar no Brasil.
    • DI = Radar, despachante em um valor de 10k de mercadoria ~ 20% ou 20k ~ 10%. Toda Start-up tem 10k para gastar em APENAS em semicondutor?
      • Tempo de importação? Estoque significa dinheiro parado, certo?
  • Investimento do governo em P&D.
    • Finep
    • CNPQ Pesquisador
    • PADIS e PPB, Processo Produtivo Básico. E o tempo envolvido para consseguir PPB por cada produto?
    • E para pequenas empresas? Micro e pequenas empresas geram mais de metade dos empregos (30 – 01 – 13).Um estudo do Sebrae, em parceria com o Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBQP), aponta que as micro e pequenas empresas brasileiras são responsáveis por 52% dos empregos formais no país, representando 40% da massa salarial. Os dados fazem parte da MPE Indicadores – Pequenos Negócios no Brasil.
    • http://dialoga.gov.br/
  • Governo quer que as empresas exportem, mas como vamos competir no mercado internacional assim? Nós temos que ser mais que bons, nós temos que ser Super-Heróis.

Veja o vídeo completo abaixo.

Gostaria de agradecer ao Bruno por sua disponibilidade e por sua empresa, por acreditar nessa nova iniciativa do Embarcados, o site Embarcados Innovation.